24/07/2014

Leitura da Semana: Billy and Me, Giovanna Fletcher

Vocês que acompanham o Manias sabem que eu sou completamente maluca pela banda McFly, correto? Pois bem, um dos vocalistas (o meu preferido!), Tom, é casado com uma moça chamada Giovanna Fletcher. A Giovanna, que além de atriz, é jornalista, escreveu um livro chamado Billy and Me, e desde que soube dele eu estou louca para ler.

No entanto, não encontrava o livro de jeito nenhum por aqui e já tinha até desistido de procurar, até que trombei com ele na Livraria Cultura, aqui em São Paulo. Infelizmente, acho que o livro ainda não foi traduzido, porque procurei de todas as maneiras e não encontrei uma versão em português, só em inglês mesmo.

De qualquer forma, como eu sou muito fã do McFly e, por extensão, da Giovanna, queria falar sobre o livro mesmo assim.

billy-and-me

________________________________________________________________________________

Sinopse: Quando você tem o namorado ideal, tudo deveria ser perfeito, certo? Então por que não é?, se pergunta Sophie May. Quando Sophie e Billy se conhecem e se apaixonam, ela achou que estava vivendo um conto de fadas. Afinal, Billy era um ator, um ícone teen adorado por garotas ao redor do mundo – e ele ama Sophie. Ela é a única garota para ele. Mas ficar nos braços de Billy tem um preço. O relacionamento dos dois jogou Sophie sob os holofotes depois de anos se escondendo de qualquer atenção. Será que ela consegue lidar com as críticas constantes ao ficar com Billy? Mas, mais do que isso, será que ela está pronta para o seu sofrimento secreto ser dividido com todo o país?
________________________________________________________________________________

Muito bem, então o livro fala sobre a tímida Sophie, uma jovem que mudou completamente de personalidade por causa de um grande trauma de vida e desde então é uma pessoa reclusa, discreta e que não quis deixar a cidade em que mora, nem mesmo ir para a faculdade depois de terminar o colégio. Sophie trabalha na acolhedora casa de chá da sua cidade natal e vive uma vidinha tranquila e simples.

Até que ela descobre que um filme será rodado no local e estrelado pelo ícone teen do momento: Billy Buskin. Ele é charmoso, lindo, talentoso e… Se apaixonou perdidamente por ela. Bonitinho, ?

Uma coisa que chamou muito a atenção no livro é que é visível como a vida da própria Giovanna influenciou a história. Afinal, apesar de ela ser uma pessoa pública também, em comparação o Tom é mais reconhecido (em um aspecto mundial). Então, ela saberia melhor do que ninguém o que é ficar no olho da mídia por conta de um relacionamento. Mesmo, agora, os dois sendo tão abertos um sobre o outro, principalmente nas mídias sociais (o filho dos dois é a coisa mais linda desse planeta! E tem o nome mais legal do mundo: Buzz)

E é isso o que acontece com a Sophie. Ela e Billy começam a sair, a namorar, e então as primeiras manchetes aparecem nos jornais e o mundo vira de cabeça para baixo. Sophie nunca teve desejo algum de ser uma celebridade, até mesmo por conta do seu histórico, por isso ver a si mesma, uma pessoa totalmente comum, que usa uniformes bregas para trabalhar, na capa de um jornal é um choque e tanto.

Mais do que isso, ela abre mão de praticamente tudo por conta desse relacionamento, tão novo e tão incerto. Apesar de saber o que sente pelo Billy, ela não tem certeza se quer passar por todas as reviravoltas que uma vida sob os holofotes acarreta.

A trama central é, realmente, uma graça e eu gosto muito do personagem do Billy e me identifico demais com a Sophie. No entanto, confesso que fiquei um pouco desapontada com a escrita da Giovanna. Talvez por ser seu primeiro livro, ela ainda está naquela fase de adaptação, mas muitas vezes a história se desenvolve rápido demais ou muito devagar. Senti também que a história principal nem é exatamente sobre ela e o Billy,mas sobre uma jovem que tenta entender o seu lugar no mundo e lidar com problemas do passado e do presente. O namorado famoso só abriu os olhos dela para esses detalhes.

Uma coisa que me incomodou um pouco é o tal ‘segredo‘ da Sophie que é tão bem guardado a maior parte do livro. Tenho a sensação que, se essa parte da história tivesse sido revelada desde o começo, talvez a narrativa ficasse um pouco mais clara. Mas isso tudo, claro, é a minha opinião pessoal.

No final das contas, o livro me emocionou em vários momentos, e o final é tão gracinha quanto o esperado. É uma história bem fofa sobre aprender a lidar com as dificuldades da vida e não perder de vista quem você é e quem você quer ser por nada nem ninguém. Se o relacionamento é para ser, então independente de qualquer coisa, vai dar certo!

Agora a Giovanna já lançou um outro livro, You’re the one that I want, que eu também tô louca para ler!

Alguém por aí já teve a curiosidade de ler?

Comentarios (0)
23/07/2014

Cabelo retrô: amor eterno, amor verdadeiro

Já comentei aqui algumas vezes sobre o meu amor por cabelos inspirados em décadas passadas, tipo o da Veronica Lake. Hoje, na página do Facebook do Manias, eu publiquei uma imagem de um penteado nesse estilo, e isso reacendeu em mim esse carinho pelo visual retrô.

cabelo-retro-1

A gente já viu mais de uma vez que muitas tendências no passado (mais recentemente, os anos 1990! – vide Miley Cyrus) voltam para a moda com uma certa frequência e alternância. E, claro, que muitas vezes em uma roupa ou na maquiagem essa tendência fica muito mais clara.

cabelo-retro-2Fotos: Pinterest

Mas nos penteados, elas também podem aparecer e, mais ainda!, dão um ar charmoso e mais elegante para o look. Eu, claro, não posso apostar tanto nesses penteados porque não tenho cabelón para aproveitá-los (apesar de cada vez mais ter um carinho especial pelos lenços no cabelo, que super dão um ar retrô), mas quem tem fios mais compridos pode demais brincar com essas tendências bacanas.

O cabelo à la Veronica, ou seja, solto e bem ondulado, é um dos meus preferidos (e de Blake Lively também!) e é muito elegante, adaptável para eventos mais chiques, como casamentos ou festas de formatura. Já o cabelo bem pin up mesmo, uma coisa mais anos 1940, com aqueles ‘rolinhos‘ (chamados em inglês de Victory Rolls), fica um pouco mais caricato, mas não menos feminino e interessante. Para quem curte a ideia, o bacana é fazer esse detalhe com o restante do cabelo solto e mais ondulado. Fica lindo de viver!

cabelo-retro-3Fotos: Pinterest

O conhecido penteado beehive, isto é, colmeia, que a Brigitte Bardot usava muito também é maravilhoso para eventos. Com a colmeia não tão alta e volumosa, aliás, só com um leve voluminho na parte de trás da cabeça, o penteado é mega adaptável para o dia a dia e dá um charme incrível para a produção.

O que vocês acham? Curtem esses looks?

Comentarios (0)
22/07/2014

Para ver: O Visitante

Conversando com uma amiga outro dia, ela comentou que tinha acabo de ver um filme lindo, chamado O Visitante. Fiquei com a história que ela me contou na cabeça e aproveitei o tempo livre no último final de semana para vê-lo.

o-visitante

Ele fala sobre a vida de um professor universitário que – a contra gosto – precisa ir até Nova York, nos Estados Unidos, apresentar um trabalho. Chegando lá, ele dá de cara com duas pessoas estranhas morando no seu apartamento que, na teoria, estava fechado desde que ele se mudou para outro estado norte-americano.

Walter, interpretado pelo maravilhoso Richard Jenkins, é um professor solitário e recluso, que não tem nenhum tipo de vida social desde que sua esposa morreu e o deixou com uma casa enorme um piano (que ele tenta tocar, mas não consegue aprender de jeito nenhum).

Quando precisa ir para Nova York, ele vai completamente contra a sua vontade para apresentar um trabalho que ele não escreveu, só leu, e parece fazer o possível para a viagem, apesar de tranquila, não ser absolutamente nada além de um desvio no caminho. O problema é que chegando lá ele encontra com Tarek (Haaz Sleiman) e Zainab (Danai Gurira), um casal de imigrantes ilegais que ‘alugaram‘ o apartamento do professor. Na confusão do ‘vamos sair da casa imediatamente‘, Walter se compadece dos dois e os deixa ficarem no local até encontrarem uma nova casa.

Tarek trabalha como um tocador de tambor e, pouco a pouco, ensina Walter um pouco sobre o instrumento. Ele, que é vidrado em música clássica, tem um pouco de dificuldade em aprender um instrumento tão rítmico e diferente do piano que a sua mulher amava, mas logo pega gosto pela coisa. Os dois, claro, viram amigos e mesmo com os trancos e barrancos, Walter e Zainab também.

Acontece, no entanto, que enquanto voltavam para casa um dia, Tarek é preso por ter, supostamente, pulado a catraca do metrô. Por ser ilegal, ele logo é levado para uma prisão para imigrantes, com perigo de ser deportado. Hiam Abbass entra na história como Mouna, a mãe de Tarek, que acaba também ficando no apartamento de Walter enquanto o filho está preso.

O longa é maravilhoso e eu recomendo demais vê-lo. Em tempos em que muitas pessoas trabalham para pagar as contas e nada mais, em profissões que muitas vezes não gostam, o filme mostra como até mesmo os veteranos precisam de novos ares e novas influências para se reencontrar.

O Walter ficou completamente perdido depois que a mulher morreu. Ele não vivia, sobreviva e tentava trazer o que restava dela de volta com as fracassadas aulas de piano que tinha. Tarek lhe mostrou um lado diferente das coisas, em que a música é um dos órgãos vitais da vida e que sentar para tocar tambor no parque com outras pessoas não é assim algo tão ruim.

O relacionamento dele com o Tarek é muito lindo, especialmente porque o imigrante mostrou para o Walter que é possível sim criar laços fortes com alguém depois de tão pouco tempo e que algumas coisas valem a briga. Mouna é uma personagem linda também e tem um carinho pelo filho tão grande que pensa em arriscar a própria vida que criou nos Estados Unidos para não deixá-lo sozinho na Síria, caso ele seja deportado.

Enfim, deu para perceber que eu amei, não é? Vale mesmo a pena assistir porque é uma história maravilhosa e emocionante. O diretor é Thomas McCarthy, mesmo que fez Um Olhar do Paraíso (outro filme incrível e que deve ser visto, apesar de bem forte) e ele fez um trabalho ótimo tanto na direção quanto no roteiro, que ele mesmo escreveu.

Alguém já viu e gostou?

 

Comentarios (0)
21/07/2014

Para eles: Ryan Gosling

Já que hoje é segunda-feira e todas precisamos de um pouco de inspiração para começar bem a semana, pensei que seria legal mostrar o estilo de um guapo por aqui, para variar. E o boy magya de hoje é ninguém mais, ninguém menos, que Ryan Gosling, muso da interwebs e dos nossos corações.

Por isso, se você precisa de um pouco mais de beleza na sua vida, ou quer dar umas dicas de ~múoda~ pro seu próprio boy, sente e leia este post (ou mande o link para o seu <3).

ryan-gosling-1Fotos: Just Jared

Falar de estilo de homem é um pouco complicado porque mesmo os homens mais estilosos e que eu mais gosto de seguir, quando o assunto é moda, são bem básicos. E percebam que com o Ryan não é diferente. O combo t-shirt divertida + calça escura + coturno (amo tanto que chega a doer!) é praticamente farda.

E mesmo assim, tão simples, ele consegue muito estilo, porque além de investir num uniforme próprio (todos nós temos um, não vamos negar! O meu é legging + camiseta comprida + sapatilha!) ele tem bastante atitude e segura esse visual despojado, até mesmo quando está com a calça podrinha.

ryan-gosling-2Fotos: Just Jared

No red carpet, ternos incrivelmente bem cortados e diferentões são a escolha do ator, que até mesmo já arriscou um conjunto inteiro de veludo (e, vamos combinar, ficou maravilhoso!). Isso, aliás, prova muito que mais importante do que roupas de marca são peças de qualidade, que estão de acordo com o seu corpo e o seu gosto pessoal. Dá para perceber que esses ternos e as camisas sociais foram muito bem escolhidas, se não feitas sob medida para cair super bem na silhueta dele. Caimento é tudo nessa vida, não vida?

Queria chamar a atenção para um ponto importante: sapatos. Meninos, sentem aqui, vamos conversar. Vocês podem usar com a roupa mais estilosa de todos os tempos, com qualidade e caimento top, cores incríveis, tudo nos trinques, se estiverem de tênis de academia, é um balde de água fria na cabeça na certa. Eu particularmente, gosto de homens que pensam na hora de se vestir, prestam atenção no que fica legal e isso quer dizer os sapatos também. Nada de tênis de academia fora dela, nada de Crocs (pelo amor de DADÁ!) e vamos maneirar no sapatênis, ok? O mais legal é fazer o look conversar entre si, então se é para usar tênis de academia, usem peças condizentes em uma situação social condizente, caso contrário, deixem ele em casa.

Podem reparar, mesmo com a roupa mais chinfrim da vida, Ryan está ou de coturno, ou de sapato social. Isso, com certeza, influencia demais no panorama geral de um look e, principalmente, mostra as escolhas pessoais de estilo dele, que tem uma vibe mais glamour rock’n'roll.

O que vocês acham? Gostam do jeito do Ryan de se vestir (ou dele como um todo? Rsrsrsrs)

Comentarios (2)
20/07/2014

Ronda de Links #6

Não sei se eu estava distraída demais essa semana ou se realmente a internet estava com depressão pós-Copa do Mundo (sdds!), mas foi difícil encontrar links legais para divulgar, viu?! De qualquer maneira, vamos à eles!

ronda-1
Esse é um pouco velhinho, mas vale demais a leitura: as meninas do Oficina de Estilo foram diretas em dizer que você não tem que ser bonita, ainda mais se for agradar a sociedade em que a gente vive.

ronda-2

A Lu do Chata de Galocha escreveu um texto ótimo sobre essa mania que a gente tem de ficar empurrando as coisas com a barriga, esperando passar o Carnaval, a Copa ou o que quer que seja para oficialmente começar os nossos projetos, sejam profissionais, sejam pessoais.

ronda-3

Me identifiquei demais com esse texto do Uma Boa Dose: 5 motivos pelos quais viajar acabou com a minha vida. Alma viajante que sou, não poderia concordar mais com tudo o que foi dito aí!

ronda-4

Liquidação é uma maravilha, ? Mas é sempre bom tomar cuidado, porque mais de uma as lojas apostam no bom e velho ‘tudo pela metade do olho’. No De Repente Tamy tem um post ótimo para evitar essas armadilhas.

ronda-5

O 7×1 no jogo contra a Alemanha fez o Brasil inteiro sofrer. Mas, acredite, dali tem como tirar lições importantíssimas para a nossa vida profissional, como explicou o Ricota Não Derrete.

Curtiram as dicas de hoje? Se quiserem, podem deixar sugestões nos cometários!

Comentarios (0)

Sobre o Blog

Cultura com estilo e um pouco de maquiagem! Oi, meu nome é Maki e é um prazer receber a sua visita no Manias! Aqui, você vai encontrar de tudo um pouco: beleza, moda, literatura, música, cultura geral... O que der na telha! Se você quiser entrar em contato comigo, é só mandar um e-mail para contato@maniasdemoca.com!

Facebook Twitter

Pesquise

Parceiros

Curta o Manias

Assine o Feed do Manias

 Assine o RSS do Manias de Moça